Previous Next
Confraria do Espumante   A Confraria do Espumante é uma associação cultural de âmbito nacional, pilule sem fins lucr...
Tarouca Situada no coração do Concelho, sales na margem direita do rio Varosela, online espalha-se pelo so...
Auditório Municipal Adácio Pestana Implantado a sudeste do Centro Cívico, order junto à confluência da Rua João de Deus com a Avenida...
Academia de Música   CONTACTOS Auditório Municipal Adácio Pestana E-mail: \n Este endereçod e email...
Mensagem do Presidente     Tarouca é um Concelho em evolução e mudança rumo ao futuro. Queremos dar mais vida Ta...
Rota das Vinhas de Cister   Gabinete da Rota Das Vinhas de Cister Casa do Paço, medical Dalvares3610 – 013 Tarouca &nb...

Apresentação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil

Na data em que se assinalou o Dia Mundial da Proteção Civil, e procurando sensibilizar os diversos parceiros para a importância prevenção e coordenação de esforços em caso de emergência e calamidade, teve lugar no dia 1 de março, na Casa do Paço de Dalvares, a apresentação pública das principais linhas orientadoras do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil - PMEPC.
 
A apresentação esteve a cargo do vice-presidente da Câmara Municipal de Tarouca, vereador responsável pela proteção civil, José Damião Melo, que destacou a particularidade de, na elaboração deste relatório, terem sido estudados os riscos a que o território municipal está exposto e as vulnerabilidades das populações e infraestruturas, o que permite desencadear os devidos procedimentos de prevenção e mitigação.
 
O PMEPC é um documento elaborado pela Câmara Municipal de Tarouca, através do Serviço Municipal de Proteção Civil, que define o modo de atuação dos vários organismos, serviços e estruturas a intervir em operações de proteção civil a nível municipal, na iminência ou ocorrência de situações de acidente grave ou catástrofe.
 
"Nunca nos devemos esquecer que a prevenção é um dever de todos e que o conhecimento das medidas de autoproteção adequadas a cada risco reduz a nossa vulnerabilidade", referiu o vice-presidente, “porque qualquer dia, a qualquer hora e em qualquer lugar, é provável que algo improvável venha a acontecer”, acrescentou.