União das Freguesias de Gouviães e Ucanha


GOUVIÃES

Situada no extremo noroeste do concelho, advice dista 7 Km da sede do concelho. A localidade é um grande outeiro, de um cume pedregoso descendo a Noroeste para o vale de Ferreirim, e caindo mais rapidamente para o vale do Varosa que a limita a Sudeste. Daquela banda fica a povoação de Eira Queimada. Esta localidade é formada pelas povoações de Gouviães, Eira Queimada.


A antiga freguesia não surgiu antes do séc. XVI, embora se denote prevista cerca de 1520. Posteriormente aparece, tal como Dalvares, uma filial de S. Pedro de Tarouca, curato de apresentação da Igreja da vila, sob orago de Santa Maria Madalena.


A agricultura é a principal ocupação dos habitantes de Gouviães: cereais (centeio e milho), batata e árvores de fruto, principalmente oliveiras.



Igreja de GouviãesVia Romana

 


PONTOS DE INTERESSE


Casa do Paço ou da "Honra de Gouviães"
Residência senhorial que teria pertencido a Paio Cortês, monteiro-mor de D. Afonso Henriques;

Capela de S. Bento (em Eira Queimada)
Datada de 1680, encontra-se localizada no interior da Quinta de S.Bento. Nas proximidades existe uma sepultura escavada na rocha; 

Via Medieval
Troço lajeado, em bom estado, da via que, passando pela Ponte de Ucanha, seguia de Lamego até Trancoso.





UCANHA

Situada no centro-norte, na margem direita do rio Varosa, é a vila mais antiga do Concelho. Foi sede de concelho que se extinguiu em 1836, data em que se anexou com as suas 5 freguesias ao concelho de Mondim, que acabou por ser extinto.

Inicialmente, chamou-se Vila da Ponte, Cucanha, evoluindo para Ucanha por dissimilição. É provável que no século XII-XIII já fosse Vila porque consta da doação que D. Afonso Henriques fez a D. Teresa Afonso.
          
Ex-líbris da União das Freguesias de Gouviães e Ucanha e do Concelho é a sua Ponte Fortificada, notável construção medieval, referenciada como de origem romana. A prova da antiguidade da ponte de Ucanha encontra-se no "Levantamento Arquitectónico e Artesanal do Concelho de Tarouca", onde é ser citada como antiga já antes de 1146, na carta de doação de Gouviães por D. Afonso Henriques ao seu Monteiro Paio Cortês.

 

 

 

Praça de Ucanha Ponte e Torre de Ucanha Ponte de Ucanha Pelourinho e antiga Casa de Câmara



PONTOS DE INTERESSE


 

Ponte fortificada
Monumento nacional. É exemplar único no país. Inseria-se na via medieval que ligava Lamego às terras de Riba-Côa. Franqueava também a entrada no couto cisterciense de Salzedas sendo local de paragem obrigatória;


Igreja Paroquial

Com talha muito trabalhada e rica. No seu interior encontra-se uma laje tumular datada do séc. XVII, e num pequeno nicho do lado esquerdo, três pequenas imagens em granito do séc. XV;

Pelourinho

Lembrando a existência do antigo concelho de Ucanha, situado numa típica calçada ladeada por graciosas casas em pedra e de varandas de madeira;


Casa onde nasceu o célebre etnólogo José Leite de Vasconcelos