União das Freguesias de Tarouca e Dalvares

 

TAROUCA

Situada no coração do Concelho, no rx na margem direita do rio Varosela, viagra espalha-se pelo sopé e encosta da serra de Santa Helena. É formada pelas seguintes povoações: Arguedeira, for sale Castanheiro do Ouro, Cravaz, Esporões, Gondomar, Outeiro, Ponte das Tábuas, Quintela, Tarouca (cidade e sede do concelho), Teixelo, Valverde e Vila Pouca.

Tarouca é um povoado anterior à fundação da Nacionalidade.

 

Hoje podem vislumbrar-se restos desta antiguidade em algumas designações, como por exemplo, o monte de Alcácima ou a Rua do Castelo. Quanto ao castelo, ainda no século XV se cita a única "porta da vila", terminal da actual Rua das Adegas, e no século XVIII o pároco da freguesia referia as suas "ruínas". Na Idade Média estava em pleno funcionamento e era uma das principais fortalezas da actual Beira. Foi conquistado aos mouros por Fernando Magno, de Leão, no século XI. O primeiro foral de Tarouca, datado de 1262, foi concedido por D. Afonso III. D. Afonso IV confirmou-o em 1348 e D. Manuel renovou-o em 1514.
          

A cidade é rica em património e monumentalidade. Sobressai a igreja matriz, pequeno templo de estrutura românica, de finais do século XIII, dedicado a S. Pedro.

 

 

Panorâmica Alcácima Jardim das Oliveiras - Tarouca Igreja S. Pedro de Tarouca Capela Sra das Necessidades Capela de Santa Helena




PONTOS DE INTERESSE

Igreja de S. Pedro de Tarouca
Igreja matriz românica de transição para o gótico, com uma só nave. No seu interior destaca-se um belo túmulo manuelino com pintura mural.
         

Centro Histórico da cidade

Capela da Sra. das Necessidades
Capela de planta central de gosto romântico e recente edificação (séc. XIX), embora deva ter fundação medieval, incluída na cerca do antigo Paço de Corujais.
         
Capela Santa Helena      

 


 

DALVARES

Dista 2,5 Km da sede do concelho. Fica situada na margem esquerda do rio Varosa e no sopé e encosta do monte de Santa Bárbara, no qual se encontra uma ermida da mesma evocação: atrás do referido monte existe o ainda hoje designado popularmente "Crasto", o remoto Castro Rei.

 

Os princípios estão no Monte de Santa Bárbara, com o seu nome e com o notável castro, hoje praticamente aniquilado, e as suas encostas do poente. Nestas se cultivou até não há muitos decénios, consumando o aniquilamento dos restos da povoação que naquele castro tinha a sua fortaleza e foi a antiga ou primitiva Tarouca, com este mesmo nome. Caída em fogo morto durante muito tempo, passou D. Afonso III carta de foral em 1272 para que aí se estabelecesse povoação Municipal a chamar-se Castro Rei e sede de um grémio de características municipais.     

 

Produz vinho, maçã, batata, milho e feijão para além da baga de sabugueiro, talvez a sua maior fonte de riqueza agrícola, dado que a planta do sabugueiro encontra aqui condições propícias para o seu desenvolvimento.

 

 

Dalvares Dalvares Dalvares Sabugueiro

 

 

PONTOS DE INTERESSE


 

Casa do Paço
Edifício senhorial da “Honra de Alvares”, foi inicialmente pertença de Egas Moniz que terá passado aos seus descendentes. Com arco de volta quebrada datado provavelmente do séc. XIII. Foi totalmente recuperada e remodelada em 2005;

 

Castro de Santa Bárbara
Trata-se de um povoado proto-histórico, situado no monte onde se ergue hoje a Capela de Santa Bárbara;

 

Sabugueiro em Flor
Espectáculo do sabugueiro em flor ao longo do Vale do Varosa;

 

Igreja Matriz
Construção de dois corpos do séc. XVI, com sacristia adossada e cobertura de duas águas. No interior domina a talha dourada.